Paralelo à pandemia, Governo de Rondônia continua com o projeto de construção do novo hospital de urgência e emergência

Paralelo à pandemia, Governo de Rondônia continua com o projeto de construção do novo hospital de urgência e emergência

Porto Velho, RO  Paralelo à pandemia, o Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), continua com o projeto de construção do novo pronto-socorro do estado. Na terça-feira (30), foi realizada a segunda audiência pública, em formato on-line com a participação de autoridades e sociedade civil, para apresentar o projeto e a modelagem final de construção do novo Hospital de Urgência e Emergência e Rondônia.

O projeto da nova unidade prevê uma estrutura moderna com 399 leitos, um centro cirúrgico com 10 salas e 64 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), incluindo hemodinâmica. A construção irá substituir o pronto-socorro João Paulo II, em Porto Velho. A expectativa é que a obra seja concluída em até dois anos, sendo uma necessidade antiga da população.

“Esse modelo já incorpora duas grandes fontes de contribuições, uma da própria população e a outra das empresas, que participaram da sessão de sondagem de mercado de (Market Sounding) e de reuniões”, disse Frederico Turolla, coordenador do estudo pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP), instituição contratada para conduzir o projeto de modelagem financeira que desenvolveu um estudo completo e detalhado de viabilidade econômica, financeira e social do hospital.

O estado de Rondônia será pioneiro na construção de uma obra de hospital estadual no modelo chamado Built to Suit (BTS). “Importante dizer que nosso Tribunal de Justiça foi construído pelo modelo BTS. Foram feitos todos os estudos necessários, como estamos fazendo, e todos estão cientes da necessidade de agilidade, bem como a certeza da eficiência, desse modelo construtivo. Que esse hospital venha a atender a necessidade da nossa população”, destacou o governador coronel Marcos Rocha, que abriu a audiência pública.

O secretário de Saúde, Fernando Máximo, que é cirurgião geral e trabalhou no Pronto-Socorro João Paulo II (JPII), destacou a importância e necessidade de ser construído o mais rápido possível o novo hospital. “O novo Hospital de Urgência e Emergência de Rondônia é um sonho da população há mais de 20 anos. Eu trabalhei no JPII durante nove anos e conheço bem as dificuldades. A unidade foi construída há 35 anos e, no o dia de hoje, trazemos a finalização do projeto, da consultoria, e da modelagem financeira e econômica, feita por uma empresa de grande confiabilidade como a FESPSP, para lançarmos o edital de licitação e, assim, começarmos a construção do novo hospital, isso é gratificante. Nunca a construção da nova unidade esteve tão solidificado, consistente, tão bem alicerçado na história de Rondônia como está agora. É a realização do povo de Rondônia, o sonho da população, do governador Marcos Rocha, meu sonho”.

“Esse projeto de construção do novo pronto-socorro do estado é de extrema importância para Rondônia, nosso João Paulo II é antigo, as equipes estão trabalhando de forma incansável para fazer a entrega desse novo hospital de forma transparente e legal”, destacou o governador Marcos Rocha.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA