Nesta manhã de quinta-feira (01), a Polícia  Civil deagrou a Operação Xequemate com o objetivo de cumprir 35 mandados de prisão preventiva contra uma organização criminosa conhecida como “Família Mato Grosso”. Conforme as investigações da polícia, a organização criminosa pode ter matado até 100 pessoas em um período de dez anos.

 

Ao menos 30 homicídios já estão conrmados como de responsabilidade da “família Mato Grosso”. A Operação Xequemate cumpre 21 mandados de busca e apreensão e 21 ordens de afastamento/quebra de sigilo telefônico dos investigados, além das 35 prisões que estão sendo realizadas nas cidades de Ariquemes, Monte Negro, Ouro Preto, Jaru, Porto Velho, Guajará-Mirim, Costa Marques, Paranatinga (MT) e Sapezal (MT).

 

O delegado Rodrigo Camargo responsável pelas investigações informou que há de dez anos a família passou a fazer cobranças no Vale do Jamari, em Rondônia mediante ameaças e extorsões, contratados por empresários locais.

 

Com isso, o bando cou conhecido no meio criminoso e moradores da região passaram a ter medo. Isso porque os parentes matavam qualquer pessoa que desaasse ou desrespeitasse a família.

 

Enquanto os crimes não eram descobertos, segundo a Polícia Civil, a família começou a se sentir “poderosa” e assim foi se estruturando como organização criminosa.

 

A Polícia Civil diz que muitos dos crimes praticados pela família foram reprimidos, alguns parentes até preso, mas os familiares soltos continuavam assassinando seus rivais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui