O desespero de familiares de pacientes que são encaminhados para o hospital de campanha de Cacoal tem se repercutido diariamente com o pedido de socorro e o clamor popular tem chegado aos representantes da Legislativo e alguns vereadores timidamente se manifesta e outros fingindo não ter conhecimentos dos problemas recorrentes daquele hospital finge que nada esta acontecendo.

O prefeito de Cacoal Adailton Fúria – PSD   sem estudo técnico e condições necessárias criou o hospital de campanha  com faltas de equipamentos, medicações sem a quantidade de servidores necessários para prestar atendimento adequado a população.

A critica inicial que a ação do prefeito em acabar com a UCS – Unidade Central de Atendimento  implantando na gestão da prefeita glaucione foi um ato para se promover politicamente aonde utilizou as redes sociais e os meios de comunicação para  promover sua popularidade como o salvador da pátria.

A realidade nua e crua é assustadora no hospital de campanha as denuncia sãos recorrentes e frequentes  com a falta de medicamentos  atendimentos pacientes ruins e falta de diversos profissionais da área principalmente médicos que não tem.

Milhares de reais já foram destinados pela câmera municipal para atender o hospital e dinheiro evapora e as necessidades e precariedades continuam todos os dias.

Dezenas de óbitos ocorridos no hospital de campanha do prefeito Adailton Fúria estão sendo mantidos em sigilo pela administração municipal desde dia 29 de Março quando o boletim da secretaria de saúde deixou de ser publicado no portal da prefeitura escondendo o crescimento assustador de casos de covid-19 e óbitos no município para manter sua popularidade.  Nos  últimos  30 dias Cacoal chega a mais de 40 óbitos por covid.

manifestação nas redes sociais começa a colocar em em xeque a popularidade do prefeito
manifestação nas redes sociais começa a colocar em xeque a popularidade do prefeito

Buscando popularidade o prefeito ignorava as medidas cautelares de decretos governamentais para conter o avanço da pandemia com a saúde do Estado  em colapso por falta de UTEI com dezenas de pacientes na fila de espera.

Fúria faz live de rebeldia contra ações do governo para a contenção do avanço da pandemia e chega a surfar na onda da popularidade de Luciano Hang conhecido como o Véio da Havam obrigando o governo do estado a ingressar com Ação Civil Publica para conter o ímpeto do prefeito no tocante as suas responsabilidades com a pandemia.

Em reunião ocorrida recentemente em Vilhena os prefeitos desabafam dizendo que o ministério publico de Cacoal é bonzinho com Adailton Fúria (PSB) de Cacoal em relação as ações do MP dos demais municípios sobre as medidas e  responsabilidade dos demais prefeitos com a pandemia.

Vereador utiliza tribuna da câmara e retrata a realidade da saúde no município deixando claro os fatos assustadores que vem ocorrendo no município.   Em seu pronunciamento relata o caso ocorrido com uma paciente no município que veio a óbito

"Nós travamos uma batalha pela vida dessa senhora. A família sofreu, nós sofremos porque buscamos apoio, buscamos ajuda por uma vida, independentemente de quem quer que seja. Esse é o nosso trabalho é ajudar e contribuir muito com a população" frisou Zivan. O vereador afirmou que não tinha remédio, ela precisava da medicação para ser entubada, e infelizmente não tinha esse medicamento. O filho conseguiu encontrar uma empresa aqui na cidade, onde foi comprar o medicamento que custa R$ 1.200.00, a pedido de um médico. A paciente foi entubada, já que a família entrou com um pedido na UTI, para ser transferida para o HRC, sem nenhuma prescrição médica, teve que refazer todos os exames novamente. "Agora quero saber porque o médico que prescreveu a medicação se quer usou a medicação", questionou o vereador. Zivan pediu que encaminhe ofício ao secretário municipal de saúde, pedindo informações da escala de plantão dos médicos do hospital de campanha do dia 1º ao dia 31, de Março, assim como encaminhe ofício ao HRC, solicitando informações do horário em que foi liberado a UTI para essa paciente, para saber qual o motivo da demora na transferência.
“Nós travamos uma batalha pela vida dessa senhora. A família sofreu, nós sofremos porque buscamos apoio, buscamos ajuda por uma vida, independentemente de quem quer que seja. Esse é o nosso trabalho é ajudar e contribuir muito com a população” frisou Zivan. O vereador afirmou que não tinha remédio, ela precisava da medicação para ser entubada, e infelizmente não tinha esse medicamento. O filho conseguiu encontrar uma empresa aqui na cidade, onde foi comprar o medicamento que custa R$ 1.200.00, a pedido de um médico. A paciente foi entubada, já que a família entrou com um pedido na UTI, para ser transferida para o HRC, sem nenhuma prescrição médica, teve que refazer todos os exames novamente. “Agora quero saber porque o médico que prescreveu a medicação se quer usou a medicação”, questionou o vereador. Zivan pediu que encaminhe ofício ao secretário municipal de saúde, pedindo informações da escala de plantão dos médicos do hospital de campanha do dia 1º ao dia 31, de Março, assim como encaminhe ofício ao HRC, solicitando informações do horário em que foi liberado a UTI para essa paciente, para saber qual o motivo da demora na transferência.

O site estará divulgando a partir de hoje algumas denuncias que estão sendo apuradas e outras que estão sendo encaminhadas a redação sobre a real situação do hospital de campanha de Cacoal acompanhe as noticias.

Denuncias poderão ser encaminhadas para o endereço eletrônico e-mail: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui